Início Facebook Site E-mail

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

COISAS DE BOUDOIR

AS PINTINHAS E OS LEQUES!



“TACHE AVANTAGEUSE” na linguagem preciosa, “la mouche” era uma pintinha artificial, feita de musseline, veludo ou tafetá, que as pessoas usavam nos séculos XVII e XVIII para realçar o tom branco da pele. Foi um dos principais acessórios da moda e da beleza do período barroco, a tal ponto que as mulheres da época chegavam a usar cerca de quinze pintinhas artificiais. Devemos ressaltar, entretanto, que elas não eram um acessório exclusivamente feminino, pois os homens também as usavam. As ‘mouches’ eram um instrumento de sedução. Havia um código, uma linguagem, um jogo sutil e uma infinidade de gradações de sentidos baseados nas formas, no número e no tamanho das pintinhas artificiais!

                        
AS FORMAS:
Elas eram principalmente redondas, mas também podiam ser alongadas (neste caso, recebiam a denominação de ‘assassinas’). Existiam também as pintinhas em forma de estrela, lua, meia lua, flor, animal.
As pintinhas eram guardadas em pequenas caixinhas especialmente feitas para tal: as caixinhas de pintinhas (les boîtes à mouches).

Caixinha de pintinha e caixinha de maquiagem vermelha para os lábios e as faces.

Dependendo do lugar onde a pintinha era colada, ela tinha um significado distinto, pois cada pintinha correspondia a uma significação diversa.

Confiram a lista de pintinhas:

Perto do olho: assassina.
Na lateral da boca: beijoqueira.
Acima dos lábios: coquete.
No nariz: atrevida.
Na testa: majestosa.
Na bochecha: galante.
Acima do lábio inferior: discreta.
Em cima de uma espinha: contrabandista.
Na dobra que forma o sorriso: brincalhona.
No queixo: discreta.
No seio: generosa.



Assim como as pintinhas, o leque também era um acessório de significação complicada, uma verdadeira linguagem da sociedade da época.

LINGUAGEM DO LEQUE:


Segurar com a mão direita, em frente ao rosto: Siga-me!
Segurar com a mão esquerda, em frente ao rosto: Desejo um encontro!
Colocá-lo contra a orelha esquerda: Deixe-me em paz!
Passá-lo pela testa: Você está mudado!
Revirá-lo na mão esquerda: Estamos sendo vigiados!
Revirá-lo na mão direita: Amo outra pessoa.
Deslizá-lo na mão: Eu te odeio.
Deslizá-lo na bochecha e colocá-lo no queixo: Eu te amo.
Deslizá-lo frente dos olhos: Sinto muito.
Tocar a extremidade do dedo: Quero falar com você.
Colocá-lo imóvel na bochecha direita: Sim.
Colocá-lo imóvel na bochecha esquerda: Não.
Abrir e fechar: Você é cruel.
Deixá-lo dependurado: Seremos apenas bons amigos.
Usar o leque lentamente: Sou casada.
Usar o leque rapidamente: Sou noiva.
Colocar o leque sobre os lábios: Beije-me.
Deixar o leque aberto e imóvel: Espere por mim.
Colocá-lo atrás da cabeça: Não se esqueça de mim!



Extrait de"L'éventail à tous vents" (Louvre des Antiquaires, Paris 1989).

Um comentário:

  1. Adorei!!!
    Nunca imaginei que até as falsas pintinhas já foram um acessório da vaidade feminina!
    Bj
    Consuelo Cavalcanti

    ResponderExcluir