Início Facebook Site E-mail

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

VERMELHO ABSOLUTO





Símbolo universal da feminilidade, o vermelho que se declina da granada profunda ao rubi brilhante transforma radicalmente o aspecto e o rosto das mulheres de forma espetacular. Descubra também este universo de pura sedução!




O vermelho é a cor do calor, do amor e da vida. Desde a Antiguidade, a supremacia desta cor se impôs a todo Ocidente, talvez pelo fato de sua química ter ocorrido de forma eficaz muito precocemente na história da humanidade .  Foram encontrados vestígios de que o homem usava pigmentos vermelhos desde a era paleolítica ( os bisões da gruta Chauvet, foram pintados com pigmentos pretos e vermelhos) e verificamos que o apreço por esta cor é também acentuado na era moderna, basta levarmos em consideração os batons e os esmaltes maravilhosos desta cor que são lançados a cada estação.






O vermelho realmente é uma cor fascinante e adoro trabalhar com os diversos tons de vermelho em lábios de mulheres que possuem a tez claríssima.  Das loiras caucasianas às divas latinas,  todas ficam divinas com lábios vermelhos! 


Atualmente dispomos de uma grande paleta de nuances do vermelho. Cada uma destas vai depender da origem do pigmento. Os vermelhos de origem animal são extraídos de insetos diversos que,  ao serem moídos, produzem tons de vermelho escarlate ou carmim. A tinta da lula também produz um vermelho sépia e, para completar, a cor púrpura, que é o tom mais raro de vermelho existente na face da terra, provem de um molusco.


MAKE UP XIVA
Os vermelhos de origem vegetal são obtidos a partir de uma planta da família do açafrão, assim como da raiz da garança que produz um vermelho vivo (alizarina ou purpurina); enquanto o vermelho de origem mineral é extraído do pórfiro (rocha de origem vulcânica).
O vermelho de origem química é obtido através do oxido de ferro e do sulfureto de mercúrio...




Nas aldeias européias e, sobretudo entre os camponeses, durante muito tempo, foi a cor do vestido da noiva (até o fim do século XIX). 





Nenhum comentário:

Postar um comentário