Início Facebook Site E-mail

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

AS CORES...





A COR


Se cada dia cai,

dentro de cada noite,
há um poço
onde a claridade
está presa.
há que sentar-se
na beira do poço
da sombra
e pescar luz caída
com paciência.

Pablo Neruda




UM POUCO DE HISTÓRIA

A utilização das cores data da origem da humanidade. Desde a pré-história até nossos dias a manipulação das cores foi uma constante em todas  civilizações. Há cerca de 30 000 anos o homem da caverna já usava pigmentos naturais para realizar afrescos que ornavam as paredes das grutas.

Em nosso século a cor ainda é um tema atual. A procura de novos luminóforos para a realização de telas de visualização conhece, atualmente, um acentuado desenvolvimento científico e tecnológico. Assim, a  história da cor está intimamente ligada à da humanidade: a análise das pinturas rupestres mostra que a diversidade das cores obtidas com os ocres naturais estava ligada ao domínio do fogo. Os óxidos de ferro, ao serem esquentados, tinham suas cores transformadas, de amarelo para o vermelho.

Durante muito tempo o homem usou pigmentos naturais de origem mineral (o azul do lápis lazuli, o cinabre HgS), animal ( a cor vermelha extraída de moluscos ou de insetos) ou vegetal (plantas) mas a verdadeira revolução das cores ocorreu na segunda metade do século XIX, com a síntese feita por Henry Perkin de uma planta denominada mauveína. Henry foi o responsável pela criação do primeiro corante sintético.

Neste momento histórico, a cor passou a representar um papel fundamental na evolução da sociedade. Em poucos anos, o aparecimento de colorantes de síntese arruinou a agricultura tradicional de índigo e outras plantas. A nova química orgânica rapidamente ultrapassou o universo dos colorantes para lançar as técnicas da quimioterapia e levar ao desenvolvimento da indústria química europeia.
Jacques Livage




 ENFIM... O QUE É A COR?

A cor é uma percepção sensorial provocada por radiações luminosas, fenômeno complexo que coloca em relação diferentes parâmetros: uma fonte luminosa, um objeto e um receptor (olho-cérebro). As percepções de uma cor e suas denominações estão relacionadas a dados não apenas físicos e fisiológicos, mas também psicológicos e culturais. Assim sendo, uma determinada cor é definida tanto descritivamente quanto simbolicamente (quais são os valores da cor em uma determinada sociedade e em uma determinada época).



SIMBOLISMO


O simbolismo das cores é um assunto que interessa sociólogos, cientistas, psicólogos, estilistas e demais profissionais da área da beleza e da moda... As interpretações deste simbolismo muitas vezes são contraditórias, pois cada grupo, cada civilização cria seus símbolos coloridos, seu conjunto de simbolismos diversos para cada cor e estes emanam de sua própria visão do mundo.


É inegável que as cores possuem um poder físico, psicológico e fisiológico (lembremo-nos dos camaleões e de certos insetos que se utilizam da metamorfose das cores para se defenderem, e do pavão, que utiliza as cores para seduzir...) Por isto, a  simbologia tradicional das cores ocupa um lugar importante na história da humanidade, de tal forma que a linguagem das cores sempre foi intimamente ligada à religião em quase todas as civilizações ( na Índia -livro dos Vedas;  na China, no Egito –templos;  na Grécia, em Roma e na Europa durante a Idade Média – catedrais góticas).

Para os japoneses, as cores possuem “significados tão delicados que estes ultrapassam o que o homem é capaz de descrever”.




---------------------------------------

Para estudar o significado das cores ao longo do tempo, tomei como base o trabalho desenvolvido por ANNIE MOLLARD-DESFOUR, lingüista do Instituto Nacional da Língua Francesa, que elaborou o Dicionário das palavras e expressões da cor do século XX. Nos respectivos volumes deste dicionário, a autora repertoriou palavras e expressões articuladas com as diversas cores, com suas definições, seus contextos, usos, simbolismos, sentidos figurados. A obra retraça também a história política, a história da arte e a do homem. Nos diversos posts que foram traduzidos e adaptados por mim, vocês poderão ler um pouco destes estudos. Basta clicar no MARCADOR 'CORES' do menu à direita.



 Laboratório de Química da Matéria Condensada de Paris 
Laboratoire de Chimie de la Matière Condensée 

Nenhum comentário:

Postar um comentário