Início Facebook Site E-mail

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

MAQUIAGEM NA IDADE MÉDIA




Na idade média, o corpo, geralmente dissimulado por roupas largas, devia obedecer a diversas exigências particulares de higiene. A juventude era exaltada e o ideal feminino de beleza consistia em possuir ombros largos, seios pequenos, firmes e bem separados, cintura fina, quadris largos, pescoço comprido e ventre em forma arredondada. A pilosidade era execrada e as mulheres se depilavam com instrumentos feitos de pedras pomes ou marfim.  Os cabelos deveriam ser loiros, longos e ondulados, assemelhando-se ao ouro. Geralmente todas as mulheres depilavam a fronte para conservar um rosto juvenil e valorizar os olhos. A brancura da pele era extremamente importante, ela representava a pureza e a inocência da juventude além de também ser um sinal de nobreza, visto que aquelas que possuíam as peles mais escuras eram os camponeses que trabalhavam sob o sol.



Na idade média, os nobres usavam unguentos feitos com cinzas de ouriço, sangue de morcego, sulfato de arsênico, cal viva, infusões de lagartos verdes com óleo de nozes, enxofre para clarear os cabelos. As mulheres também preparavam máscaras de argila, amido, leite ou mel para tratar suas peles. Agnès Sorel (cerca de 1420-1450), a famosa ‘Dama da Beleza’, aplicava todas as manhãs, sobre seu rosto, uma máscara que continha cérebro de porco selvagem, minhocas e baba de lesmas.



Para ter o hálito perfumado, as mulheres mascavam grãos de cardamomo, funcho e cascas raladas de frutas e seus dentes eram branqueados com bicarbonato de sódio.



A PROIBIÇÃO DA MAQUIAGEM

A maquiagem era proibida pela igreja sob o pretexto que ela travestia as criaturas divinas.
Uma única cor era tolerada: o vermelho, que representava o pudor. É interessante notar que as representações da Virgem Maria desta época foram  feitas sem nenhuma feminilidade. A estatuária românica a representava como um simples suporte que apoiava Cristo em seus braços. 

Durante um período que durou quase dez séculos, a religião teve uma influencia extremamente negativa relativamente ao assunto ‘beleza’. O moralismo ambiente escondia o corpo para deixar à mostra apenas um rosto de tez branca impassível. A maquiagem era considerada diabólica, mas isto foi sendo modificado por aqueles que voltavam das Cruzadas e traziam diversos cosméticos como as pérolas orientais que, moídas e misturadas ao amido de trigo, permitiram a obtenção de um pó branco e nacarado que ao ser passado sobre a pele  resultava em uma tez alvíssima, objetivo de todas as mulheres da época.



 Traduzido e adaptado por KRIS XIVA de:
égétalehttp://vivre-au-moyen-age.over-blog.com/article-13572039.html

9 comentários:

  1. Que bom que gostou, JUJU! Este foi o post mais lido durante a semana!

    ResponderExcluir
  2. Boa noite,

    Gostei do texto. Saberiam informar que fez a última imagem?

    Obrigada.
    talita.b.guimaraes@gmail.com

    ResponderExcluir
  3. Boa noite, Talita! Infelizmente não sei... vou ficar te devendo!

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito do seu post, pude até utilizar como fonte de pesquisa! :)

    ResponderExcluir
  5. Gostei muito do seu post, pude até utilizar como fonte de pesquisa! :)

    ResponderExcluir
  6. Gostei muito do seu post, pude até utilizar como fonte de pesquisa! :)

    ResponderExcluir