Início Facebook Site E-mail

quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

A VAMP


O termo, derivado da palavra vampiro, designa uma mulher fatal, poderosa, bela e irresistível que surge envolta em uma aura de mistério. Trata-se de uma mulher que seduz e leva sua presa à perdição. A vamp foi encarnada, pela primeira vez, pela atriz Theda Bara.


A vamp é uma mulher que tem uma natureza ambivalente. Ela é desejada por seus encantos, mas também temida por sua reputação perigosa. Ela seduz suas presas com sua sensualidade libertina, sem escrúpulos e sem sentimentos. Considerada como sexualmente insaciável, ela se opõe à imagem de mulher respeitável, alem de ser manipuladora, mentir para conseguir o que deseja e usar emocionalmente suas vítimas masculinas. Na era do cinema mudo elas personificavam o desejo de libertação das mulheres que viviam em uma sociedade exclusivamente dirigida pelos homens.




Lilith, Salomé, Aphrodite, Morgana e Circe foram as precursoras das vamps. Estes demônios, que poderiam ser também feiticeiras, criaturas híbridas ou deusas,  poderiam ser capazes de roubar a força vital dos homens para devorá-los ou viver aventuras amorosas e arquitetar vinganças terríveis.


VAMPS CÉLEBRES

Mata Hari,a célebre dançarina exótica de nacionalidade holandesa, foi acusada de espionagem durante a primeira guerra mundial. Dentre as vamps famosas do cinema mudo podemos citar: Theda Bara, Nita Naldi, Louise Glaum,Musidora, Helen Gardener, Pola Negri... Estas atrizes maquiavam a pele com pós brancos, realçavam os olhos com uma camada espessa de delineador e construíam, com a maquiagem, um olhar penetrante que acentuava ainda mais a aura de mistério de suas personagens.




Nenhum comentário:

Postar um comentário